O Manchester City acaba de ser banido pela UEFA por violar o Fair Play Financeiro entre os anos de 2012 e 2016 e está impedido de participar das competições europeias nas próximas duas temporadas. Segundo o parecer da UEFA, o City adulterou receitas no seu balanço a fim de se enquadrar nas regras da UEFA e também não colaborou com as investigações do comitê.

Além de ser banido das competições europeias, o clube inglês deverá pagar uma multa de 30 milhões de euros a instituição. O veredito foi dado nesta sexta-feira (14) e o clube ainda pode recorrer.

O clube se manifestou sobre o assunto com as seguintes alegações:

“O Manchester City está desapontado com o anúncio feito hoje pela Uefa.

O clube sempre salientou a necessidade de ser escolhido um órgão independente que pudesse considerar, de forma imparcial, as evidências irrefutáveis que dão razão ao Manchester City no caso.

Em dezembro de 2018, o chefe de investigação da Uefa previu de maneira pública o resultado do julgamento, além das sanções que ele queria aplicar sobre o Manchester City, antes mesmo que as investigações fossem iniciadas.

O processo seguinte, constantemente vazado e com diversas falhas, mostrou que havia poucas dúvidas no resultado final.

O clube reclamou formalmente com o Comitê Disciplinar da Uefa, em uma reclamação que foi referendada pela Corte Arbitral do Esporte.

De maneira simples, esse foi um caso iniciado pela Uefa, processado pela Uefa e julgado pela Uefa.

O confronto Real Madrid x Manchester City permanece

Vale ressaltar que a punição não se aplica à Liga dos Campeões desta temporada (2019/2020). Os citizens permanecem na busca do título inédito do campeonato e enfrentam o maior campeão da Champions, Real Madrid, pelas oitavas de finais e apostará todas as fichas nesse confronto.