O Real Madrid é muito claro que não contratará nenhum ‘9’, nem mesmo Cavani até esclarecer o problema que de Jovic. O sérvio foi pedido de Zidane na temporada passada e não jogou na partida contra a Real Sociedad. O esforço será feito em 2021 e 2022 por Mbappé e Haaland, os dois grandes almejados por todos.

O Real Madrid começou sua jornada na La Liga com o pé errado. Dois pontos perdidos em San Sebastián (0-0) e uma preocupante falta de apetite por gols que deixou o clube branco em alerta. Os jogadores oferecidos não param e no clube mantêm-se o mesmo estrito acordo em relação a possíveis contratações em 2021.

O objetivo é contratar Mbappé e Haaland e só a crise desencadeada pelo coronavírus impediu essa ideia inicial.

O Madrid agora só tem de apostar numa opção de baixo custo, como fez com Van Nistelrooy ou Adebayor, que pode dar uma atuação imediata ao clube branco. Vários nomes aparecem neles, mas o único viável é Edinson Cavani para o Real Madrid. O uruguaio é a opção mais viável para os chamartín e é uma possibilidade que começa a ficar muito mais longe do que muitos desejam. Madrid já deu “não” aos seus intermediários em várias ocasiões.

Cavani não entra nos planos. O roteiro do clube é outro. Muito diferente. A política mudou e agora é a aposta jovem que mais vale a pena. No clube há a certeza de que Luka Jovic é muito mais lucrativo do que o que Zinedine Zidane está insinuando e eles estão resistindo à venda do sérvio. Um jogador que, aliás, pediu ao Mister de Marselha que reforçasse o ataque e que agora não se enquadra nos seus planos.

Outro clube interessado em Cavani é o Grêmio. O tricolor gaúcho teria oferecido cerca de 2 milhões de reais por mês ao atacante uruguaio. O que mais aproxima Edinson do clube brasileiro é a proximidade do Rio Grande do Sul com Uruguai.